domingo, 5 de julho de 2015

MUSA Cascais - 3/7/2015

Chegou finalmente o mês de Julho! É verão e a época dos festivais já começou.
Carcavelos é igual a MUSA e MUSA é igual a reggae.
O único festival português inteiramente dedicado ao reggae marca sempre lugar no primeiro fim-de-semana de Julho na Praia de Carcavelos. 
Apesar do vento que se fazia sentir no primeiro final de tarde do festival a expectativa era grande. O cartaz desta edição fazia jus aos bons nomes que a organização nos tem vindo a habituar.

Herculee foi o primeiro artista a entrar em palco. Surf music que combina com o mar como pano de fundo do palco e letras sobre a praia e os amigos que ajudaram a animar a tarde. Herculee canta com o coração e tocou-nos.


Mary Juh, o único nome feminino de todo o cartaz, foi a artista que se seguiu. De pé descalço e cabelo ao vento, dançou e encantou com o seu tom rouco e quente. Mary Juh contou no concerto que o MUSA tinha sido o primeiro palco que pisou aos dezassete anos. No final do concerto estivemos à conversa com a artista que nos disse estar muito feliz com a adesão do público e a energia que o mesmo lhe transmitiu. Disse sentir-se grata pela oportunidade e muito feliz por pisar o palco em nome próprio. Sobre ser a única artista feminina desta edição do festival disse ser um pouco intimidante mas ser muito importante ter-lhe sido dada esta oportunidade e espera que surjam mais nomes femininos no reggae em Portugal.


Eram 21h quando Xibata entrou no palco. Com reggae de intervenção conseguiu agarrar o público que cada vez se compunha mais em frente do palco. Xibata tinha preparado a primeira surpresa da noite, onde houve alguns convidados surpresa. Mr. Marley e Zacky, a dupla que forma os Supa Squad, vieram a palco para três temas.


Entrevistámos Mellow Mood antes do concerto. Os irmãos disseram-nos estarem à espera de uma óptima noite de reggae. Sobre aquilo que poderíamos esperar deste concerto o baixista disse estarem no início da tournée de verão e com um álbum novo lançado há poucos meses por isso haveria muitos temas novos e alguns clássicos. Quanto a surpresas que poderiam estar planeadas foram muito bons a disfarçar. O concerto começou com uma introdução e com a dupla a cantar em off. Entraram em palco com o tema “Inna Jamaica pt. 2”, onde no original contam com a colaboração de Hempress Sativa. O concerto fez-se de uma grande parte de temas do mais recente álbum “2 the World” e alguns de “Twinz”. Quanto ao momento alto da actuação, esse estava reservado como já era calculado para a surpresa de Richie Campbell no tema “Inna Jamaica”. Um concerto cheio de energia que soube a muito pouco.


O vocalista de Groundation, Harrison Stafford, contou-nos que estava muito feliz por estar junto ao oceano, a energia era bastante positiva e poderíamos esperar para o concerto da banda o inesperado uma vez que existe bastante improviso nas suas actuações ao vivo que são sempre selvagens, electrificantes e positivas. As espectativas foram concretizadas e apesar de alguns temas mais calmos do novo álbum, que conta com influências jazz, foi um concerto enérgico e onde é sempre um prazer ouvir a voz deste grande cantor.


Jah Cure fechava a noite. Quando entrou em palco foi notório o entusiasmo do público. Com muitos gritos femininos nas filas da frente, este era o concerto mais romântico da noite. Com temas referentes ao amor aqueceu os corações de todos os presentes e mostrou do que é feita uma estrela do reggae internacional.


Assim terminava a primeira noite do Festival MUSA Cascais.



Texto: Sofia Robert

Fotografias: Luís Carvalho
Mais fotografias em: https://www.facebook.com/soumusica.pt

Instagram e Twitter: @soumusicapt 

Sem comentários:

Enviar um comentário