segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Dub Inc - 20/12/2014

Dub Inc estão na minha lista de bandas que mais vezes vi ao vivo. Apesar disso as minhas expectativas para os seus concertos são sempre muito altas e sei que nunca fico desiludida. O concerto teve lugar na Sala Tejo do Meo Arena que confesso ainda não conhecia.
A abrir o concerto, e muito pontuais, estiveram os Chapa Dux. A banda entrou e tocou o tema “Steppin’ Out” dos Steel Pulse, alterando o verso “(…) here comes Rasta man” para “here comes Chapa Dux”.


O concerto foi curto mas intenso, tocaram-se originais bem como, além do tema dos Steel Pulse, “Get up, Stand up” de Bob Marley onde o público ajudou com os punhos no ar. O vocalista Di fez-se acompanhar também de um convidado, um dos membros do grupo Grognation. Neste concerto, que estava a ser filmado para um DVD que a banda está a gravar, é de destacar a secção de sopros e a “boa vibe” transmitida fazendo a todos lembrar que se faz bom reggae em Portugal!

Chegava então o grande momento da noite... A banda entra em palco e após começar a tocar ouvem-se as vozes de Aurélien e Hakim. Entra então a dupla recebida com grande entusiasmo.


Dub Incorporation, ou Dub Inc como agora preferem ser chamados, são uma aposta certa. Começam logo por pedir ao público “ponham as vossas mãos no ar” enquanto dizem “Are you ready for Dub Inc sound?”. O público estava mais do que pronto! Aproveitam ainda para mostrar os seus dotes de português e para expressarem a felicidade que sentiram nesta tournée e o tão especial é acabá-la em Lisboa.


“Dos à dos”, do álbum “Hors controle”, é um dos primeiros temas da noite, seguido de “Chaque nouvelle page”, já do último álbum. É esse mesmo álbum, “Paradise”, que estava em apresentação nesta tournée, e do qual pudemos ouvir o tema homónimo, “Better Run”, “Partout dans ce monde” dedicada às mulheres assassinadas recentemente na Palestina e “Revolution”. Músicas como “Bang bang” ou “Murderer” fazem todos saltar e gritar.


É inegável a ligação mágica entre o público e a banda, em todos os concertos a que já assisti da mesma, feito algo curioso visto que as letras das músicas têm uma parte normalmente bastante pequena de inglês. Cantando em francês, árabe e kabyle torna-se bastante difícil para o público entender as letras mas de alguma forma sente-se que a mensagem é passada. Mensagem essa que maioritariamente é activista e revolucionária quer o assunto seja a injustiça social ou o meio-ambiente.


Para o encore reservaram ”Chaînes” onde todos elevaram os seus isqueiros, “Rude Boy” cantada em uníssono por todos os presentes e “Sounds Good”, seguida de uma brincadeira onde cada vocalista fica com metade da plateia e vê quem grita mais alto “Lisboa’s on fire”.


O fecho da noite ficou a cargo dos alemães Pow Pow Movement, com os membros de Dub Inc a assistir na plateia, que nos presentearam com temas de reggae e de música electrónica para continuar a animar a noite. Ouviu-se Gentleman, Bob Marley e até o nosso compatriota Richie Campbell. A plateia dançou e aproveitou para libertar o restinho de energia que sobrava.


Mais um concerto de Dub Inc que ficará gravado na memória! Sabe sempre a pouco… Uma noite excelente e uma quente maneira de começar este Inverno!
Voltem sempre




Texto: Sofia Robert

Fotografias: Luís Carvalho
Mais fotografias em: https://www.facebook.com/soumusica.pt


Sem comentários:

Enviar um comentário