quinta-feira, 11 de setembro de 2014

No Cameras Allowed - 9/9/2014

Terça-feira fui até ao ISEG, Instituto Superior de Economia e Gestão, para a quarta sessão das Talk Music Sessions, integradas no Talk Fest.
“No Cameras Allowed” é o documentário que conta a história de Marcus Haney, o rapaz que entrou em mais de 50 festivais sem comprar bilhete!
Marcus é também o realizador deste projecto.


O mote do filme desperta a atenção de todos, sobretudo quando percebemos que os festivais onde entrou à socapa são nada mais, nada menos do que festivais como Glastonbury ou Coachella.
O documentário é constituído por 80 minutos de adrenalina, diversão e muito talento!
Um filme bem feito e bem editado que faz as delícias de todos os amantes da música e do cinema.
Não vou adiantar muito mais sobre este documentário pois aconselho vivamente a verem-no.

O momento alto desta noite foi, depois de vermos o protagonista desta história vezes sem conta em grande plano durante o documentário, contarmos com a presença física do mesmo no final da visualização.
Marcus Haney, juntamente com uma moderadora, sentaram-se no palco do Auditório para uma sessão de perguntas e respostas feitas pela mesma ou por elementos do público que iam levantando o braço.
Foram feitas perguntas bastante interessantes sobre as quais certamente todos pensámos enquanto vimos o filme, tais como se o documentário seria inteiramente verdadeiro ou se tinha tido algum tipo de guião visto ser produzido pela MTV, conhecida por falsos reality show’s. A esta pergunta, Marcus esclareceu que a preparação deste projecto teve uma duração de dois anos, dos quais o segundo foi para a edição. Quando o filme foi proposto à MTV, este já estava concluído e não sofreu nenhum tipo de alteração depois de finalizada a parceria. A MTV é apenas a distribuidora do documentário.

Foram levantadas as questões legais do projecto onde nos foi explicado que todos os artistas que aparecem deram autorização e que, da parte dos festivais, apenas um deles (que não pôde ser referido) ameaçou entrar em processo litigioso mas por enquanto ainda não o fez.
Marcus deu-nos algumas sugestões e até dicas de como penetrar em festivais, falou-nos do seu percurso pós-documentário e do seu amor por Lisboa.

Foi uma noite muito bem passada onde tive o enorme prazer de poder conhecer alguém com exactamente o mesmo gosto e nível de paixão que eu e ouvir a sua história tão inspiradora.
Como conclusão fica que devemos seguir os nossos sonhos, conseguir expor-nos mas sobretudo desenvolver o talento que possamos ter.




Obrigada Marcus Haney pela inspiração!


Texto: Sofia Robert

Sem comentários:

Enviar um comentário