segunda-feira, 14 de abril de 2014

Kintal Reggae Festival - Coliseu dos Recreios


Entrei no Coliseu dos Recreios, por volta das 22h15, onde Chronixx já se encontrava a cantar. Sendo este um festival com vários nomes, optaram por começar muito cedo o que não foi o ideal para quem trabalha até tarde.
O Coliseu estava longe de estar cheio o que para mim não foi novidade, pois na conjuntura actual, pagar 30€ por um bilhete não é algo muito fácil apesar do forte cartaz.
O cheiro que pairava no ar e os olhos semicerrados da maioria do público faziam ter a certeza que nos encontrávamos num concerto de Reggae.

Chronixx tem uma voz bastante agradável e uma boa presença em palco, óptimo concerto para começar a noite.
Havia ainda pessoas sentadas, nas cadeiras do Balcão Central, mas à medida que o concerto ia avançando eram cada vez mais as que se levantavam e dançavam ao som de músicas como “Ain’t no giving in” e respondiam aos chamamentos “Jah” “Rastafari”.

Depois de um curto intervalo animado pelos Kooyah Soundsystem, recebemos Don Carlos.
Don Carlos nunca deixa a desejar com a sua voz mas faltava-lhe um pouco da chama e da energia com que nos encheu em 2011 no TMN ao Vivo.
Presenteou-nos com os grandes clássicos “Young Girl”, “Time”, “Movin”, “Stay Alive” e a grande música “7 days a week”.

Depois de mais um intervalo, a banda de Alborosie entra em palco e fazem uma pequena introdução. É então que chega o momento mais aguardado da noite… Entra Alborosie em palco e o público fica eufórico.
A presença em palco de Alborosie é difícil de encontrar noutros artistas, acompanhada pela sua voz rouca e grave mas com grande poder. Pode-se dizer que Alborosie é o pacote completo!
Músicas como “No cocaine”, “Herbalist” ou "Kingston Town" levam o público ao delírio.
“Police Polizia” foi também um momento alto, sendo das minhas músicas preferidas.
Mas houve espaço também para os singles do novo álbum “Play fool” e “Rock the Dancehall” que mostraram que o público segue o trabalho deste artista que vindo da Sicília chegou para revolucionar o Reggae na Jamaica.

Alborosie gosta de fazer o público saltar e usa constantemente as suas rastas para animar, seja a fingir que são uma espingarda apontando-as ao público ou que são cordas para lançar. Quem vê um concerto de Alborosie pode esperar consistência na voz e em toda a actuação.

Foi um bom festival mas onde não se pode deixar de salientar: o som que apesar de estar com boa qualidade estava excessivamente alto e a duração mesmo muito curta de cada concerto que deixou bastante a desejar.

Sem comentários:

Enviar um comentário